ÚLTIMOS

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Pesquisa aponta Sonhadores Lúcidos com maior poder de Intuição

    Uma instigante pesquisa envolvendo insight na resolução de problemas mostrou que sonhadores lúcidos possuem maior habilidade no alcance dos resultados.



    A pesquisa foi realizada na Universidade de Lincoln - Reino Unido, envolvendo a participação de 68 voluntários, entre 18 e 25 anos, dos quais 20 eram sonhadores lúcidos. As pessoas com capacidade de ficarem conscientes em seus sonhos, conseguiam índice 25% maior de acerto nos problemas apresentados.

    A natureza das questões propostas eram acerca da determinação de uma palavra específica, numa sequencia de quatro palavras. Sequencia como: "areia, milha e idade", sendo o resultado "pedra". Os voluntários que conseguiam ficar conscientes em seus sonhos, apresentaram performance 25% superior e o pesquisador Dr. Patrick Bourke especula motivos para esse resultado:

"É  possível que para o sonhador lúcido ficar consciente enquanto dorme, deva ver além daquela realidade esmagadora do seu estado de sonho e reconheça que está sonhando".

"A mesma capacidade cognitiva de pensar de uma forma diferente foi demonstrada quando se trata de resolver problemas durante o estado desperto."

Fonte:
http://www.sciencedaily.com/releases/2014/08/140812121839.htm

Postado por Márlon Jatahy 2

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Indução de Sonhos Lúcidos em Laboratório

    Pesquisar o estado mental dos sonhos, com a presença da consciência do sonhador é uma oportunidade estimulante para o avanço nos estudos sobre a natureza da consciência.

Imagem do excelente filme Source Code - Contra o Tempo.

     Cientes de alguns mecanismos e atividades cerebrais, envolvidos no evento da consciência durante os sonhos lúcidos, Ursula Voss e outros neurocientistas da Universidade de Frankfurt realizaram experimentos para induzir sonhos lúcidos em laboratório.

    O experimento envolveu o recrutamento de 27 voluntários que nunca tinham tido um sonho lúcido(ou que pelo menos não se recordavam), para receberem o estímulo craniano nas regiões dos lobos frontal e temporal. Quando os estímulos eram de 40 Hz - ondas gamas, o cérebro reproduzia a mesma frequência e em 77% das vezes resultou em lucidez.





     Segue o relato de um voluntário:
 
    “Eu estava sonhando com torta de limão. Parecia translúcida, mas, ao mesmo tempo, não eram. Lembrava um pouco um desenho animado, como os Simpsons. Então eu comecei a cair e o cenário mudou e então eu estava falando com Matthias Schweighöfer [um ator alemão] e mais dois estudantes estrangeiros de intercâmbio. Eu estava pensando sobre o ator e eles me disseram ‘sim, você encontrou ele antes’, e então eu percebi ‘ops, você está sonhando’. Quer dizer, enquanto eu estava sonhando! Tão estranho”.

  

  Fonte:
http://www.nature.com/neuro/journal/v17/n6/full/nn.3719.html
Postado por Márlon Jatahy 8

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Visita ao Instituto do Cérebro - UFRN


     Tivemos o privilégio de conhecer de perto as instalações do Instituto do Cérebro - UFRN, em Natal-RN. Trata-se de um centro de pesquisas brasileiro, o qual reúne mentes brilhantes do nosso país e de outras nacionalidades. O Professor Doutor Sérgio Arthuro Mota Rolim, autor de tese "Aspectos Epidemiológicos cognitivo-comportamentais e neurofisiológicos do sonho lúcido"¹, segue conduzindo pesquisas em neurociências e nos apresentou pesquisas em andamento no instituto.



     No bate-papo comentou sobre a recente pesquisa(fora do instituto) com sonhos lúcidos, realizada por Ursula Voss, Allan Hobson e outros, na qual foram induzidos sonhos lúcidos por estímulos elétricos. A pesquisa traz dados curiosos, como a possibilidade de indução da consciência em sonho REM, numa faixa específica de frequência, conhecida como Gama, oscilando entre 25 e 40 Hz. Para Rolim, essa linha de pesquisa ainda deverá se aprofundar, para obtenção de resultados mais sólidos.





     Tivemos a oportunidade de acompanhar uma pesquisa junto ao Hospital Universitário Onofre Lopes, onde o professor Sérgio pesquisa a aplicação de aumento de latência de sono REM e seus efeitos sobre a depressão. No laboratório de sono, acompanhamos o início do sono do paciente-voluntário e tivemos uma mini-aula sobre os registros de atividades neurofisiológicas e o significado dos diversos tipos de frequências cerebrais.

   
Mini-aula com o professor Sergio Rolim sobre neurofisiologia.

       Com pesquisas desde 2007 sobre sonhos lúcidos, totalizando 13 anos com o sono em geral, Sérgio fez observações fascinantes sobre o tipo de estímulo que acredita ter mais possibilidade de interferência ou ser incorporado no sonho: o som. De acordo com os relatos coletados, em suas pesquisas, verificou ser uma ferramenta, com grande potencial para se trabalhar possíveis frequências de indução de sonhos lúcidos.


       Ainda no Instituto do Cérebro, tivemos a oportunidade de conversar com alguns pesquisadores e presenciar o andamento de pesquisas como na área de neurobiologia celular, biotecnologia, neurofisiologia computacional, neurofeedback entre outros...


Visita ao laboratório, no qual acontecia a pesquisa com neurofeedback.


        Voltamos a conversar sobre a pesquisa realizada por Sérgio Rolim, através de um grande questionário para mais de 4.000 sonhadores lúcidos. Foram 20 questões, relacionando elementos como aspectos desses sonhos, temas recorrentes e fatores determinantes na indução.

       Com a análise dos resultados, descobriu-se a identificação de possíveis elementos que favoreçam a indução da consciência nos sonhos, com destaque em primeiro lugar para a intenção. Isso significaria que adormecer desejando ter o sonho lúcido, pode ser mais determinante do que se imagina. Tal resultado é corroborado por pesquisadores alemães², em que fizeram um levantamento sobre diversas técnicas de indução e a intenção(propósito) ficou com uma pontuação razoável.

         
Casal de sonhadores lúcidos  que realizou a visita :)

           Já ressaltei a importância da indução algumas vezes. Vale relembrar uma boa ideia de sua aplicação: 

    - Antes de dormir, procure se imaginar, intensamente, experimentando um sonho ou vivenciando um sonho como se já estivesse nele. Ainda durante esse exercício imaginativo - acordado - reconhecendo que está sonhando.


Fontes: 

(1) ROLIM, Sérgio A. M. Aspectos Epidemiologiocos Cognitivos-Comportamentais e Neurofisiológicos dos Sonhos Lúcidos. Tese(Doutorado em Psicobiologia).  - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal. 2012.

(2) STUMBRYUS, Tadas. ERLARCHER, Daniel. SCHADLICH, Melanie. SCHREDL,Michael Schredl Induction of lucid dreams: A systematic review of evidence. Conciousness and Cognition 28.07.2012 - ELSEVIER.

http://www.sonhoslucidos.com/2012/12/aspectos-socio-demograficos-cognitivo.html

http://www.sonhoslucidos.com/2014/05/proposito-na-inducao-de-sonhos-lucidos.html


Postado por Márlon Jatahy 14

quinta-feira, 5 de junho de 2014

'Como cheguei até aqui?' - Um teste de realidade fascinante.

Uma cena surpreendente e espetacular, no filme A Origem(Inception), quando Cobb está conversando com Ariadne, numa lanchonete e em meio a conversa, questiona-a: "como você chegou aqui?"



    Olhar para as mãos, acionar interruptores, puxar o dedo da mão, prender o nariz e a boca e continuar respirando, olhar para o relógio... todos esses testes de realidade se utilizam da fragilidade da estrutura do sonho, no que se refere a presença da lógica ou mecanicismo. Vale lembrar que quando sonhamos, o que funciona mais forte é nossa criatividade ou imaginação. Por isso é tão difícil ler textos ou números.
 
     Dentre os Reality Checks ou Testes de Realidade mais conhecidos, questionar-se "Como cheguei aqui?" é um dos mais consagrados entre os sonhadores lúcidos. Para quem ainda não sabe, um reality check é uma ferramenta que auxilia na indução da lucidez no sonho. Funciona com base na falta de continuidade da maioria dos sonhos.

    No caso da questão "Como cheguei aqui?", direciona-se para um ponto fraco especial dos sonhos que é essa fragmentação, falta de linearidade tão comum de se encontrar por lá. Durante os sonhos, quando saímos de uma aula e vamos para casa, raramente temos que fazer todo o trajeto. Em um momento estamos em meio a uma aula e como num salto/flash, pulamos para uma cena já em casa.



     Bruno Grego, um sonhador lúcido experiente - com entrevista publicada aqui no blog -  o qual participou da pesquisa de doutorado do Dr. Sérgio Rolim é um adepto dessa técnica. Sua eficiência, era na época, de média de 2 sonhos lúcidos por semana.

     Minha sugestão é unir dois Reality Checks em um só. Ao observar sua mão durante o dia(de 5 até 10 vezes por dia está ótimo), questione-se: "Como cheguei aqui?". Serão dois pontos sensíveis dos sonhos sendo analisados ao mesmo tempo. Continuidade da narrativa e a lógica do número e forma dos dedos nas mãos.

     
    

  

Postado por Márlon Jatahy 37

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Propósito na indução de Sonhos Lúcidos: Don´t think you are... know you are.

     Um caminho bem simples para conseguir ficar consciente num sonho é saber se utilizar do "Propósito ou "Intenção". Foi pesquisada como técnica de indução, num estudo realizado por Tadas Stumbrys, Daniel Erlarcher e outros, conforme artigo publicado sob o título "Indução de Sonhos Lúcidos: Uma Sistemática Revisão de Evidências" (fonte abaixo).

A intensidade como desejamos realizar o propósito de ficarmos consciente num sonho é proporcionalmente determinante à eficiência de ter um sonho lúcido. Na imagem, um dos personagens criados em meus sonhos, durante minha infância: o "Doutor Psí".


    A aplicação da técnica, realiza-se da seguinte maneira:

    - Antes de dormir, procure se imaginar, intensamente, experimentando um sonho ou vivenciando um sonho como se já estivesse nele. Ainda durante esse exercício imaginativo - acordado - reconhecendo que está sonhando.

     Trata-se de uma maneira bem direta de induzir um sonho lúcido e de acordo com essa pesquisa é capaz de produzir bons resultados. Pode-se perceber uma flagrante semelhança com a técnica  MILD ou até mesmo com o THOLEY. Porém não aborda a memória da maneira como recomenda LaBerge e também não requer um empenho mais extenso e com outros elementos como sugere Paul Tholey.

     O índice de eficiência, em alguns experimentos, superou diversas outras técnicas. Parece haver uma semelhança no índice de ocorrência com a Autossugestão.

     Essa técnica me remete dramaticamente ao trecho do filme Matrix, impostado logo abaixo. "Não ache que você é... SAIBA que você é."  Transportado para nosso tema "Não ache que você pode ficar consciente num sonho... SAIBA que você consegue!"







     O Diário de Sonhos sempre é um aliado para exercitarmos nossa familiaridade com a estrutura do sonho. Assim, como nessa técnica é importante se imaginar e se reconhecer num sonho, sugiro dar uma boa caprichada nas anotações dos seus sonhos.

     Vale ressaltar que foi percebido uma grande eficiência dessa técnica, especialmente como ferramenta para controle de pesadelos.

     Para quem quer realizar algum experimento em especial nos sonhos, sugiro uma boa lida na Técnica da Incubação.


Fonte Bibliográfica:

STUMBRYS, Tadas e outros. Induction of lucid dreams: A systematic review of evidence. 2012. Conciouness and Cognition 21.
Postado por Márlon Jatahy 16

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Qual a natureza dos Sonhos Lúcidos? Estado Dissociado ou fase REM com consciência?

Uma questão intrigante colocada pelo sonhador lúcido Niro, em nosso Fórum sobre Sonhos Lúcidos:

"Não... Não estou perguntando o que é um sonho lúcido! Isso eu sei pois já os tenho há muito tempo.
Mas sim: Por que eles existem? Teriam alguma função na evolução humana?


Qual a origem dos sonhos lúcidos? Poderia ser algum tipo de alteração cerebral/mental, com potencial evolutivo? Na imagem, cena do excelente filme A Cidade dos Amaldiçoados, com Christopher Reeve.



Será que são frutos de um erro? Alguma "falha" no complexo sistema de nosso cérebro. Da qual alguns seres humanos tiram proveito para se divertir? Afinal de contas o normal, pelo menos, de acordo com a maioria, seria estar totalmente inconsciente durante o sonho."

      Uma resposta especulativa, de minha parte, vai no sentido de que ainda não existe uma pesquisa conclusiva abordando esse tema. Então a gente precisa reunir alguns indícios ou pesquisas pioneiras que se aproximem um pouco do tema e ver para que lado a coisa parece apontar. 

       Existe duas correntes trabalhando com hipóteses divergentes:

Stephen LaBerge: defendendo que o sonho lúcido é um estado mental, sustentado pela estrutura da fase REM do sono. Significaria que estar num sonho lúcido, ainda seria estar dentro da fase REM do sono.


Alan Hobson e Ursula Voss: defendendo que o sonho lúcido é um estado mental dissociado ou uma parassonia, no qual se equivale a outros estado híbridos do cérebro, como a paralisia do sono, alucinações hipnagógicas, auditivas, hipnopômpicas etc..
Porém, se partirmos apenas dessas duas perspectivas, será que iremos para lugares diferentes?!

Análise de atividade cerebral entre os estados mentais quando acordados(o superior), no estado do sonho lúcido(meio) e em fase REM comum(não lúcido). Allan Hobson e Ursula Voss, classificam o sonho lúcido como um Estado Dissociado.


      Caso seja um Estado Mental, como defende o LaBerge, fica mais aceitável que o sonho lúcido pode mesmo se tornar consequência evolucionária. Um tipo de variação da nossa mente que pode se tornar dominante, uma vez que se mostre aproveitável e seja estimulada/disseminada na nossa cultura.

      Caso seja um Estado Dissociado, como defendem Ursula Voss e Hobson, poderia ficar mais difícil tornar o sonho lúcido uma ferramenta de uso para nossa espécie. Afinal sendo um estado dissociado ou parassonia, sabemos que alguns deles são mais difíceis de se induzir... mas outros estados dissociados como a paralisa do sono, também podem ser induzidos...

      Ainda assim, independente da natureza de origem ou da verdadeira raiz de onde está partindo o sonho lúcido, podemos identificar um sensível progresso tanto do número de pessoas interessadas, como praticantes e também das atenções de grandes universidades e centros de pesquisas para com o tema.

 
Grandes centros de pesquisa e universidades na Alemanha, EUA, Inglaterra seguem se aprofundando nas pesquisas sobre sonhos lúcidos. No Brasil, tivemos o pioneirismo através da UFRN, com Sérgio Arthuro Rolim com sua tese "Aspectos Epidemiológicos cognitivo-comportamentais e neurofisiológicos do sonho lúcido". 



       Fica parecendo mais razoável para mim que o sonho lúcido, sendo um estado mental, sustentado pela fase REM ou um estado dissociado, é comprovadamente passível de indução, e por conseguinte, servirá como um grande instrumento de desbravamento da mente/cérebro/consciência, bem como uma longa lista de benefícios em áreas relacionadas.

        Vale ressaltar por fim, ser típico da natureza/universo, trilhar caminhos não lineares, mas muitas vezes aleatórios, como raízes de uma árvore que se expandem em direções diversas, com apreço pela diversidade, a qual é ela quem acaba amplificando maiores chances de permanência/sobrevivência. 


       Vejo nossa consciência nos sonhos dessa maneira. É uma porta que nos foi oferecida e que independente da forma como foi originada, estamos começando sua exploração.

Referências Bibliograficas:

(1) - Signal-verified lucid dreaming proves that REM sleep can support reflective consciousness Intenational Journal of Dream Research, volume 3, nº 1. pg 26-27 (2010).

(2) - NEUROCIÊNCIA da Mente e do Comportamento. LENT, Roberto(Coordenador).
 Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

FÓRUM(questão do Niro):
 http://sonhoslucidos.forumeiros.com/t940-afinal-o-que-seriam-os-sonhos-lucidos
Postado por Márlon Jatahy 16
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...