ÚLTIMOS

domingo, 4 de janeiro de 2015

Sonhos e o Tempo: o Melhor Simulador do Mundo está no seu Cérebro

     Apesar do que aponta o senso comum, a percepção do tempo enquanto sonhamos parece ser o contrário do que muitos pensam: no sonho, sentimos o tempo de maneira mais lenta do que no estado desperto.

Pilotos costumam refazer mentalmente a trajetória da pista... em um sonho lúcido, pode-se percorrer a pista em um simulador que emula a realidade.
      

     Daniel Erlacher e outros pesquisadores, pela Universidade de Bern, verificaram uma interessante diferença de tempo, entre a execução de certas atividades no estado desperto e durante um sonho lúcido. Não foram as primeiras pesquisas realizadas na área. O próprio pesquisador já havia conseguido resultados intrigantes em 2004, juntamente com Michael Schredl. Essa pesquisa foi divulgada nesse site e pode ser conferida aqui.

     Há dez anos, Erlacher e Schredl identificaram que os sonhadores lúcidos, no momento em que estavam sonhando(e conscientes), eram capazes de executar contagens(de 1 até 10) em um período muito próximo da vigília. Porém uma diferença superior a 44,5%% acontecia quando esses mesmos sonhadores lúcidos realizavam exercícios de agachamento. Em suma: em se comparando com o estado desperto, nos sonhos, surgia uma lentidão ou percepção mais lenta do tempo.

     Nesse novo estudo, outras atividades foram cumpridas: caminhada, exercícios de ginástica e contagem de 01 até 30. Através do novo estudo, verificaram que os voluntários, executavam certas atividades(caminhada e ginástica),com uma lentidão até 50% maior do que na vigília(acordados). Imagine-se treinando nos sonhos algum tipo de esporte, como por exemplo a corrida. Quando estiver sonhando, a percepção da execução da atividade irá acontecer com essa lentidão. 


Imagem do ótimo filme Cidade das Sombras


        Interessante notar que a diferença de percepção caiu quando os sonhadores lúcidos executavam contagens de 01 até 30. Foram três experimentos nesse sentido: contaram de 01 até 10, 01 até 20 e 01 até 30. A lentidão foi em média 27,2% maior do que no estado desperto.
 
         A possibilidade de utilizar o cérebro, no estado mental dos sonhos lúcidos, como um grande e eficiente simulador está ficando cada vez mais em evidência. Mesmo que nossa mente não seja capaz de emular em detalhes certas condições do ambiente, ainda assim, oferece a oportunidade de aprimorarmos nossas habilidades, desempenhando performances em câmera-lenta.


        De acordo com Erlacher: "É claro que há limites - você não pode melhorar a resistência , mas se você tiver bom simulador no cérebro, pode usá-lo para melhorar e estabilizar as técnicas. Eu vejo isso como um grande potencial para as disciplinas com um alto nível técnico".


Fontes:

http://journal.frontiersin.org/Journal/10.3389/fpsyg.2013.01013/full

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3893623/
Postado por Márlon Jatahy 9

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Memória, Limbo e Falso Despertar

    Existe um momento durante o estado mental dos sonhos em que percebemos estar sonhando, porém observamos que o cenário do sonho ainda não se estabilizou. Outra situação é quando lutamos para recordar o que planejamos no estado desperto(vigília) e ficamos em dificuldades para acessar essa memória. Por fim, as armadilhas do falso despertar. O texto abaixo é um relato da sucessão de sonhos lúcidos que tive e talvez possa auxiliar na superação dessas situações.


Imagem inspirada no livro Encontro com Rama, de Arthur Clarke. Imagem de Andre Freitas, e efeitosde  CGI produzidos pela Lightfarm Studios created "The Verge

      Meus últimos sonhos lúcidos aconteceram na semana passada, enquanto tentava realizar um "Desafio Lúcido", uma brincadeira entre os sonhadores lúcidos, na qual o objetivo era visitarmos um cenário de sonho com "O Mundo daqui 1.000 anos".

     Fiquei consciente num lugar extremamente escuro. O sonho ainda não havia se formado. Tentava tatear no chão para manter a consciência e de repente alcançar um lugar mais claro. Tateava pelo chão, corpo, paredes... resolvi fazer umas flexões também. Continuei a passar a mão pelas paredes até sentir o trinco de uma porta. Consegui.
     Abri a porta invisível - sentida pelo tato -  e fui para um lugar um pouco mais claro. Era uma sala grande. Procurei lembrar o que havia planejado fazer. Qual experimento ou plano... e caminhava, atravessando portas, corredores, porém a recordação não vinha. Acabei tendo um falso despertar.

Uso da Técnica das Portas sempre produzem a mais alta eficiência para mim em meus experimentos. Na imagem, capa de um dos excelentes livros de Stephen King, da Saga da Torre Negra.


 É interessante notar como ter um objetivo planejado no estado desperto, nos ajuda a manter firmes com a consciência durante o sonho. Trata-se de um foco, algo que serve de combustível para se embrenhar no sonho, aceitando a estrutura natural de nosso inconsciente, possibilitando se divertir com ele e fazer alguns experimentos, sem qualquer ação ou controle forçado. Mesmo submetido ao falso despertar, consegui voltar com consciência(veja abaixo)!...


     Era escuro novamente. Percebi estar ainda sonhando. Recomecei o processo de tatear o chão, o corpo e as paredes. Fiz assim até encontrar a maçaneta de uma porta. Abri-a desejando que o lugar estivesse claro.

A utilização do sentido do tato nos sonhos, parece ajudar sobremaneira, quando a estrutura do sonho ou o cenário, ainda não se encontram concluídos. Tenho anotado uma considerável quantidade de sonhos lúcidos, nos quais me utilizei dessa ferramenta para adentrar no sonho, mantendo estável a consciência.


      E consegui!... A casa estava mais clara e me esforcei para lembrar o que tinha planejado fazer. Dessa vez eu conseguiria. Tinha lembrado antes rapidamente, mas me escapou a lembrança... então veio forte. Era visitar o futuro daqui a MIL anos. Saí atrás de uma porta. Encontrei uma abertura de porta, sem ela que dava para fora. Desejei visitar o mundo daqui MIL anos e saí para uma floresta. Eram árvores enormes, com troncos bem compridos. Fui saltar por uma delas e dei um salto gigante. A gravidade do lugar era menor. Estaria numa nave, estilo RAMA(o livro de Arthur Clarke, Encontro com Rama)?! Saltei por várias daquelas árvores. Os galhos eram proporcionalmente bem menores e ficavam muito acima, mas os troncos grandalhões. Então despertei.




 

 Sonho lúcido, dois dias depois:

    Estava numa casa, tentando lembrar o que havia planejado fazer no sonho. Caminhava de um lado para o outro, martelando a mente em busca do que tinha planejado. Tudo muito claro e nítido. Esforçava-me para manter o foco e não despertar. E o foco era recordar o "Desafio Lúcido". Finalmente fui inundado com a lembrança de “visitar o mundo daqui 1000 anos”.

     Abri uma porta desejando encontrar aquele futuro e saí para uma grande sacada. Lá avistei prédios monumentais. Eram fortalezas várias vezes maiores do que os prédios de hoje. Alguns coloridos e com janelas gigantes. Via tudo com grande nitidez. Acordei. 











Postado por Márlon Jatahy 19

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Como prolongar o Sonho Lúcido?


   Possivelmente uma das maiores dificuldades de quem acabou de ter seus primeiros sonhos lúcidos, seja a dificuldade de prolongar a experiência.

Imagem do excelente filme Drácula - A história nunca contada



   Conheci o termo "controle indireto", com um amigo com boa experiência em sonhos lúcidos- conhecido como Tyler no antigo Orkut - o qual defendia a utilização dessa técnica. Mais do que uma técnica, trata-se de uma posicionamento ou forma de pensar e agir, durante o evento de um sonho consciente.

   O controle indireto significa procurar se manter no sonho, sem forçar o controle sobre o sonho. Evitar querer controlar diretamente aparecimento de personagens, mudanças de cenário e coisas do gênero. Em vez disso, deve-se aplicar ferramentas de controle indireto. Por exemplo, caso queira encontrar alguém em especial, procurar uma porta e só então desejar que essa pessoa esteja do outro lado. Resumidamente portanto, o sonhador lúcido não deve forçar a narrativa do sonho ou mudar algo diretamente, mas se utilizar de "técnicas de controle", como a Técnica das Portas, uso de baús, espelhos, buracos entre outros que podem ser criados pelo próprio sonhador.




   Não menos importante é a necessidade de possuir um plano ou objetivo em especial para realizar no sonho. Estar com algo preparado para se divertir, um experimento que sinta ser interessante fazer nos sonhos, invariavelmente servirá de combustível para manutenção da consciência nos sonhos.

   Tudo isso é claro, sem esquecer das mais consagradas Técnicas de Controle/Prolongamento, anteriormente bem debatidas e publicadas nesse site:

   -   Rodopio

   -   Esfregar as mãos

   -   Portas
  
  
Postado por Márlon Jatahy 31

domingo, 28 de setembro de 2014

Opções de Estudo, Pesquisa e Carreira com Sonhos Lúcidos

     Para aqueles interessados em conhecer possibilidades de pesquisa na área dos sonhos lúcidos, esse texto talvez possa servir de auxílio. Trata-se de algumas opções de estudo ou trabalho, para quem quer se aprofundar no mundo da pesquisa, relacionado ao campo da consciência nos sonhos.





    Psicologia

     São diversos caminhos que podem ser seguidos, seja pela psicologia, medicina, biologia, filosofia, entre outros. A começar pelo caminho que escolheram Daniel Erlarcher e Stephen Laberge, graduando-se em psicologia e se direcionando para seus doutorados em psicofisiologia.
   
    Daniel Erlarcher se graduou em psicologia e suas especializações se voltaram para a área desportiva e mais especificamente para a psicofisiologia. Produziu resultados fascinantes relacionando o aumento da performance no estado desperto, de atividades envolvendo coordenação motora, durante os sonhos lúcidos.

      No caso de Stephen LaBerge, o pesquisador pioneiro na área, ao se utilizar da comunicação com os olhos, durante os sonhos, como forma de comprovação do estado mental consciente, ainda no estado mental dos sonhos.





    Medicina

    Observando o exemplo do pesquisador brasileiro, Sérgio Rolim, oriundo da medicina e que avança em áreas relacionadas com a medicina do sono, neurofisiologia e psicobiologia. Existem possibilidades de pesquisas voltadas para a psiquiatria, com as relações de transtorno mentais, como a esquizofrenia e depressão.


    Tecnólogo do Sono

     Parece-me um tipo de profissão ainda não encontrada no Brasil. Na área de tecnologia do sono, estuda-se aspectos relevantes da Medicina do Sono, com tecnólogos  do sono auxiliando na avaliação,  acompanhamento e cuidado de pacientes com distúrbios do sono. Tecnologia do sono é reconhecido como uma profissão lá fora. O âmbito da prática de tecnólogos sono lhes permite trabalhar em centros de sono, laboratórios para distúrbios do sono relacionados com respiração, ambientes domésticos e configurações não baseadas em instalações sob a direção do especialista do sono.





   Filosofia da Mente
 
    Um dos grandes mistérios da vida contemporânea, a consciência está cada vez mais atraindo estudiosos de diversas áreas, seja para tentar decifrar esse fabuloso enigma ou para entrar no debate sobre seus tipos e naturezas. É possível encontrar alguns grandes filósofos como Daniel Dennet, passando a ter que tratar com os sonhos e a consciência no campo da filosofia da mente.



Esse texto surgiu através de uma sugestão de uma sonhadora lúcida, a Larissa Ettinger.

Fonte:
http://www.dreamviews.com/general-lucid-discussion/108390-education-career-paths-lucid-dreamer.html
      
      
Postado por Márlon Jatahy 8

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Pesquisa aponta Sonhadores Lúcidos com maior poder de Intuição

    Uma instigante pesquisa envolvendo insight na resolução de problemas mostrou que sonhadores lúcidos possuem maior habilidade no alcance dos resultados.



    A pesquisa foi realizada na Universidade de Lincoln - Reino Unido, envolvendo a participação de 68 voluntários, entre 18 e 25 anos, dos quais 20 eram sonhadores lúcidos. As pessoas com capacidade de ficarem conscientes em seus sonhos, conseguiam índice 25% maior de acerto nos problemas apresentados.

    A natureza das questões propostas eram acerca da determinação de uma palavra específica, numa sequencia de quatro palavras. Sequencia como: "areia, milha e idade", sendo o resultado "pedra". Os voluntários que conseguiam ficar conscientes em seus sonhos, apresentaram performance 25% superior e o pesquisador Dr. Patrick Bourke especula motivos para esse resultado:

"É  possível que para o sonhador lúcido ficar consciente enquanto dorme, deva ver além daquela realidade esmagadora do seu estado de sonho e reconheça que está sonhando".

"A mesma capacidade cognitiva de pensar de uma forma diferente foi demonstrada quando se trata de resolver problemas durante o estado desperto."

Fonte:
http://www.sciencedaily.com/releases/2014/08/140812121839.htm

Postado por Márlon Jatahy 4

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Indução de Sonhos Lúcidos em Laboratório

    Pesquisar o estado mental dos sonhos, com a presença da consciência do sonhador é uma oportunidade estimulante para o avanço nos estudos sobre a natureza da consciência.

Imagem do excelente filme Source Code - Contra o Tempo.

     Cientes de alguns mecanismos e atividades cerebrais, envolvidos no evento da consciência durante os sonhos lúcidos, Ursula Voss e outros neurocientistas da Universidade de Frankfurt realizaram experimentos para induzir sonhos lúcidos em laboratório.

    O experimento envolveu o recrutamento de 27 voluntários que nunca tinham tido um sonho lúcido(ou que pelo menos não se recordavam), para receberem o estímulo craniano nas regiões dos lobos frontal e temporal. Quando os estímulos eram de 40 Hz - ondas gamas, o cérebro reproduzia a mesma frequência e em 77% das vezes resultou em lucidez.





     Segue o relato de um voluntário:
 
    “Eu estava sonhando com torta de limão. Parecia translúcida, mas, ao mesmo tempo, não eram. Lembrava um pouco um desenho animado, como os Simpsons. Então eu comecei a cair e o cenário mudou e então eu estava falando com Matthias Schweighöfer [um ator alemão] e mais dois estudantes estrangeiros de intercâmbio. Eu estava pensando sobre o ator e eles me disseram ‘sim, você encontrou ele antes’, e então eu percebi ‘ops, você está sonhando’. Quer dizer, enquanto eu estava sonhando! Tão estranho”.

  

  Fonte:
http://www.nature.com/neuro/journal/v17/n6/full/nn.3719.html
Postado por Márlon Jatahy 9
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...